Visitas

sábado, 4 de junho de 2016

DÁ-ME PORRADA TODOS OS DIAS MAS EU GOSTO MUITO DELE ......

Hoje troquei, a minha cronica semanal da Mais Oeste, para partilhar este texto que tirei de um blogue ( desconheço o seu proprietário, com as minhas desculpas de o "copiar" ) . Com todo o respeito por este assunto que não é para rir antes pelo contrário, é para chorar, ( e este já enjoa!!!! ) mas, da maneira como este Senhor/a o escreveu, deu-me tanta vontade de rir que não quis deixar de o partilhar. Ora leiam ....

DÁ-ME PORRADA TODOS OS DIAS MAS EU GOSTO MUITO DELE ......
Passo a citar :
"Boas. Venho por este meio informar uma notícia em primeira mão. Os nossos tribunais vão deixar de se preocupar com problemas de violência doméstica e de agressões entre marido e mulher. Isto fica a dever-se ao facto de esses assuntos a partir de agora serem resolvidos por essa grande especialista que é a Carla Duarte. Não conhecem? Deixem lá, que a partir de agora esta senhora vai andar em voga. Atentem só no primeiro despacho que a senhora fez em directo na SIC. Cá vai:
Especialista em Tarot da SIC aconselha vítima de violência doméstica a ter paciência
O programa 'A Vida nas Cartas – O Dilema' há muito que ocupa as primeiras horas de emBBtNkzD.jpgissão da SIC. Mas se antes era conduzido em exclusivo por Maria Helena Martins, o espaço é agora partilhado com Carla Duarte, especialista em Tarot de Marselha (que deve ser muito diferente do Tarot de Bragança).
Foi justamente num episódio conduzido por esta, no passado dia 2 deste mês, que um dos telefonemas chegou de uma mulher, que se identificou como Maria da Glória, de 64 anos, e que pretendia saber mais sobre a sua saúde, mas também descobrir se o seu marido teria outra mulher.
Não é preciso muito tempo de conversa para perceber que Maria da Glória é vítima de violência doméstica há 40 anos, de um marido que bebe. Perante isto, Carla Duarte lê nas cartas que o marido desta mulher não tem outra mulher, até porque aquilo que procura não é uma mulher, mas uma figura maternal. Justamente por isto, Maria da Glória deve ser essa mãe e nutrir o marido, ter paciência, e não discutir nem procurar conflitos. Até porque “quando damos amor recebemos amor, mesmo que seja em menor quantidade, e quando damos violência recebemos violência”, ouve-se no programa da SIC. “Mime o seu marido”, remata a apresentadora. Que lindo!! Mime o seu marido até dá vontade de chorar. Ele partiu-lhe um braço e deixou-a sem ver porque lhe pisou os olhos? Deixe lá e faça-lhe um chá de camomila e dê-lhe um beijinho.
Imaginem quando esta senhora se dedicar a casos como violações; pedofilia; assassínios…

Sem comentários:

Enviar um comentário