Visitas

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O princepezinho ...







Princepezinho chegou ao meu mundo no dia 1 de Maio de 1971,.Foi um Senhor que trabalhava comigo  que tinha idade para ser meu pai o Engº Resina Rodrigues a quem rendo as minhas homenagens, felizmente ainda está entre nós. Um homem com uma cultura brutal e com quem aprendi muito. Deu-me a medo com vergonha, aliás não teve coragem de mo dar pessoalmente e deixou-o em cima da minha secretária, Naquela altura a palavra “respeito”, então relativamente a ele era sagrada.   Ficou com receio que me parecesse mal. Claro que, quando abri o embrulho e vi aquele livrinho fininho e com aquele título fiquei passada e perguntei-lhe; porque é que o Senhor Engenheiro me deu este livro? ( achei que me estava a chamar “criança” indirectamente ) não conhecia o livro. E a resposta fez-se imediatamente; dei-lho porque primeiro acho que o merece, segundo gostava muito que “visse mais para alem dos seus olhos”, se conseguir interiorize as mensagem que estão lá, porque eu quero acreditar que vai ser uma pessoa maravilhosa, etc, etc, só quero dizer que chorei com as suas palavras e lembro-me como se fosse hoje que cheguei a casa e enfiei-me na casa de banho e li o livro nessa noite todo ( não sei o porquê da casa de banho, não me lembro ) No dia seguinte quando ele chegou disse-lhe: Engº Resina já li o livro todo e juro que farei os possíveis para seguir toda aquela filosofia de vida, porque adorei. E foi assim que começou a minha odisseia de me fazer como pessoa. Como já disse muitas vezes foram estes Senhores e Senhoras com quem trabalhei ( comecei a trabalhar aos 15 anos !!!! trabalhar!!!! ) que me ensinaram muito da vida, porque me adoptaram, O Eng. Resina, O Engº Sadanha Lopes, o Engº Fausto Reis, o Engº Soares Machado e tantos outros que nem dá para enumerar, quer me ensinaram aq ser gente fora da minha zona de conforto a minha casa. Uma vénia do tamanho do mundo  a todos eles, que me devem estar sempre a seguir…..
Naquela altura, achei aquelas palavras lindas e o livro lindo, mas obviamente apesar de já ser grandinha, não entendi verdadeiramente o que tudo aquilo queria dizer, mas sabia que iriam estar sempre presentes aquelas palavras na minha mente ( como ainda estão ) Como tudo mudou tão de repente …..
 Comecei pelos  planetas pelos quais o Pequeno Príncipe havia passado…
Longe de ser um livro infantil, só vim entender essa e outras mensagens ao longo da minha vida. Reli sabe-se lá quantas vezes.
Hoje, este  clássico de Antoine de Saint-Exupéry , será que continua actual?  fiz questão de fazer uma nova leitura e separar 14 frases que penso que só os adultos entenderão:

1 – “Todas as pessoas grandes foram um dia crianças – mas poucas se lembram disso.”

É engraçado como, muitas vezes, não nos permitimos viver as coisas boas – e aparentemente impossíveis – simplesmente porque “parecem coisas de criança” e “não são mais para a nossa idade”.
Há quem perca grandes oportunidades de realizar sonhos quando pensa já não é criança, isso é um tremendo de um disparate como ler o asterix ou o Tim Tim, não  deixar sujar o cantinho da boca (ou a boca inteira, no meu caso) ao comer um gelado etc, etc…
Olhe para si e lembre-se de quem  é de verdade! Adultos são apenas crianças que aumentaram de tamanho. Os sonhos, lá no fundo, permanecem mágicos!

2 – “Quando a gente anda sempre em frente, não pode ir muito longe.”

As nossas maiores conquistas são alcançadas quando exploramos outras direcções além das que nos colocam na nossa zona de conforto. Muitas vezes,  é necessário necessário recomeçar outra trajectória, pois não  demos conta de coisas valiosas naquele caminho…

3 – “Elas [as pessoas grandes] adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, as pessoas grandes jamais se interessam em saber como ele realmente é. […] Mas perguntam: Qual é a sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai? Somente assim é que elas julgam conhecê-lo.”

Vivemos numa sociedade na qual as pessoas valorizam mais o “ter” do que o “ser”. Apresentamos namorados/amigos/parentes “advogados”, “médicos”, “empresários”, mas nunca pessoas “gentis”, “carinhosos”, “pacientes”, “tolerantes”.
Números atraem, mas sozinhos não dizem nada, nem nas expressões matemáticas. Pensem nisso!


4 – “Nem todo mundo tem amigo.”

Para mim, uma das frases mais célebres do livro. Amigo é algo valioso, que só se consegue por mérito, paciência, gentileza e respeito. Amigo é quem tem a nobreza de aceitar o outro do jeito que ele é. Parar, prestar atenção e perceber que a “verdade” do outro” também faz sentido. Se não for na sua vida, fará na dele.
Há quem tenha a sorte de ter vários! Há quem, no entanto, desconheça a existência de algum…

5 – “É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas”

Certamente não se lembra, mas para ficar de pé  precisou de gatinhar, segurar nas paredes, e sofás, ensaiar passos – muitas vezes frustrados – para, finalmente, caminhar pela casa.
Foram necessários esforços e abdicações, erros e tentativas, pois crescer é isso! É preciso sair e enfrentar os medos, as angústias, os tropeços. Eles fazem parte da vida e da paisagem linda que ela  dá quando composta pelas borboletas.

6 – “Ele não sabia que, para os reis, o mundo é muito mais simples. Todos os homens são súditos.”

O cenário está longe de ser exclusivo de uma monarquia e o que digo  está longe de ser uma reflexão partidária. No entanto, para quem tem – ou almeja – o poder nas mãos, o resto é subserviência. Na verdade, os “reis” precisam bem mais dos seus “súditos” que os “súditos” dele…


7 – “É preciso exigir de cada um o que cada um pode dar.”

Não exija dos outros aquilo que eles nunca prometeram ldar-lhe, nem se obrigue a oferecer algo que não lhe pertence. Um amor, uma amizade, um carinho, um abraço, um reconhecimento, um pedido de desculpas, tudo acontece naturalmente e só tem valor quando é entregue sem cobranças.

8 – “O essencial é invisível aos olhos, e só se vê bem com o coração.”

Uma das frases mais conhecidas de Antoine de Saint-Exupery e talvez, a mais verdadeira. O melhor de um amor, de uma viagem, de um encontro ou de um presente não é o que transmite aos outros, mas o quanto nos toca o coração.
Amores não se tornam mais verdadeiros quando atestados em contratos; Viagens não são mais incríveis pela quantidade de fotos que foram tiradas. Amizades não são mais honestas quando os envolvidos se falam todos os dias.
O essencial a gente sente e, ao sentir, a gente sabe. 

9 – “É bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros.”

Muitos sabem que olhar para dentro dói e, se é para magoar alguém, melhor que seja o outro…


10 – “A gente só conhece bem as coisas que cativou.”

Essa frase é engraçada porque define muito bem o que a gente sente no decorrer da construção de uma relação, seja ela de que tipo for. No começo, o outro parece longe,  mal sabemos os seus gostos e preferências. Mal se sente a sua falta.
Depois, é como se tudo ficasse mais próximo e a pessoa se “fizesse” necessária na sua vida. Daí paramos e pensamos: “Mas eu nunca imaginei. Era algo tão distante…”
Era, mas criou laços, cativou! 

11 – “É bom ter tido um amigo, mesmo se a gente vai morrer.”

Porque amigos verdadeiros nunca, nunca morrem! ♥

12 – “Os homens embarcam nos trens, mas já não sabem mais o que procuram.”

O imediatismo social no qual vivemos nos proporciona viagens que, muitas vezes, nem desejamos fazer.
Jovens  no primeiro quarto da vida, são pressionados a estabelecer uma profissão para uma vida inteira por vezes. As mulheres eram ( agora já não)  pressionadas a casar antes dos 25, ter filhos antes dos 30 e, não bastasse, ser bem sucedida antes dos 35, agora a apartir dos 35 nsão descartáveis. Os Homens precisavam sair da casa dos pais, ter uma carreira promissora,  e nunca, jamais, recusar sexo.
Como diria Mafalda, “isso não é vida, é um fluxograma!”

13 – “A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar.”

Um pouco? A gente chora é muito! E chora pelas conquistas, pelas derrotas, pela saudade, pelos abraços que consolam, pelas palavras que incentivam… E, claro, pela confiança quebrada.
Criar laços é iluminar os olhos, nos dois sentidos.

14 – “E nenhuma pessoa grande jamais entenderá que isso possa ter tanta importância!”


Nenhuma …

Sem comentários:

Enviar um comentário