Visitas

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Auto-estima, valorizar ....


Continuando na mesma linha de pensamento . Tudo é efémero ou seja, tudo  flui e nada fica !!!!

 

Tudo flui, o meu marido não é meu, os meus filhos não são meus, os meus objectos, os meus pais, a casa, o carro e até os meus amigos também não são meus.
Também acontece o mesmo com os sucessos e os fracassos  e cada vez mais me leva a crer que em  tudo o que fazemos,  é sempre uma transição. ( juro que não me voltei, p’ro Buda, nem p’ra nada de filosofias estranhas ..)
Porque, na realidade tudo flui.

A pessoa com quem vivo, pode ser a pessoa que me acompanhará por todo o resto da vida ou não ( apesar de ele dizer que se fosse o hoje do antigamente, casava comigo novamente!! ) lindo não é? . Agora a sério e continuando..
Tudo depende da intensidade e da duração da fluência que sofremos.
Também aço que, cada um de nós não é mais do que um canal/tubo por onde passam pessoas e coisas. Uns/umas ficam mais tempo do que outras. Nem o próprio sentimento precisa de ser eterno. Só é sentimento enquanto lá estiver presente fluindo. A fluidez com que eu me deixo envolver com tudo e todos aqueles com quem estou ou me dou, mais concretamente me relaciono, depende do estado da limpeza da minha alma/canal/ o que lhe queiram chamar.
Porque se estou bem comigo , a minha auto-estima boa, serei uma melhor recepctora, digiro muito melhor as situações com melhor e  mais lucidez com tudo aquilo  que me cerca, assim, receberei e darei mais coisas, tais como os valores, sentimentos , etc
Algumas pessoas passaram pela minha vida de modo muito intenso, não as vou esquecer nunca. Tive em alguns momentos vontade de as reter, como se a relação com elas fosse propriedade minha.
Sofri, não digo que não, mas tive de acabar por as largar a pouco e pouco.

Neste mundo nada nos pertence, Tudo nos é oferecido por quem um dia nos tirará, portanto, como já referi mais acima o melhor é deixar fluir, deixar andar e logo se vê…
Um conselho para não se sofrer tanto quando nos é retirado alguém ou alguma coisa, vá treinando a sua Auto-Estima o Amor por si.. ( não tenho a menor dúvida relativamente a esta frase… )
E sempre em nome da minha paz de espírito penso:  Todos temos certos condicionamentos ditadas por “Qualquer Coisa de Supremo” que ninguém entende mas que mais ou menos respeitamos.
Vivemos em certas alturas num campo magnético enorme, atraímos tudo e todos para tentar perceber o caminho da nossa evolução. Caímos, levantamo-nos mordemo-nos, imaginamos coisas, que são fruto da nossa ligação ao “Não sei o Quê”.

E, para terminar, só existem duas coisas uma é “a tal Coisa de Supremo” e a outra é o modo como nós aprendemos com as situações inevitáveis e adversas.

Sem comentários:

Enviar um comentário