Visitas

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

João Soares - Ministro da cultura


Apesar não estar totalmente de acordo com este Senhor, acho que devia dar a conhecer algumas coisas que eu e mais pessoas ignoravam à cerca do novo Ministro da Cultura.

Porque sou uma pessoa justa e ontem quando vi que era o João Soares como M.Cultura, ( não o conheço pessoalmente atenção ) mas fiquei passada, mas fiquei passada por ignorância minha e falta de esclarecimento, visto que a minha opinião acerca dele não era muito abonatória ( mas as pessoas mudam, porque a vida nos obriga a isso ) e hoje tive conhecimento do verdadeiro percurso que ele tem feito até aos dias de hoje, então minha opinião também mudou, nem para melhor nem para pior, não sei, mudou e logo se vê. Porque neste momento não é o momento de hostilizar ninguém mas sim de tentar unir as pessoas. Deixo aqui um texto de um blogue que costumo ler à qual roubei e que gostei de ler ou de saber o que li e por isso o partilho, porque penso que existem mais pessoas que ficaram com a mesma opinião com a qual eu fiquei, então é para esses mesmos onde me incluo.
"Em reacção ao destempero das redes sociais assim que foi conhecida a indigitação de João Soares para ministro da Cultura do futuro Governo, destempero que traduz a decepção das claques dos vários “candidatos” ao lugar, publiquei ontem no Facebook o texto que a seguir republico. Não conheço João Soares a não ser de o ver na televisão, e raramente estou de acordo com as suas posições, mas li vários dos livros que a Perspectivas & Realidades publicou, e acompanhei o percurso na Câmara de Lisboa, primeiro como vereador da Cultura (cinco anos), depois como Presidente (sete anos). Isso basta.
Uma mistura de ignorância, má-fé e ressabiamento fez com que muita gente escrevesse disparates. Hoje, até um jornal tido como de referência se permite inquirir, na primeira página, sobre os conhecimentos de João Soares. Vamos então explicar como se tivessem todos dois anitos.
Aqui vai:
Vai por aí um grande alarido com a nomeação de João Soares para ministro da Cultura. Eu não gosto de ministros (ou secretários) da Cultura. Não descobri isso hoje. Quem lê o meu blogue sabe que escrevo sobre o assunto há mais de dez anos. Entendo que num Estado democrático a Cultura não tem que ser dirigida. Devia haver dois grandes Institutos, com autonomia financeira e política, um virado para as Artes, outro para o Património. Ponto.
Isto dito, uma vez que os costumes são o que são, não percebo o espanto com João Soares, que é editor desde 1975, tendo publicado Orwell, Cesariny, Raul Brandão, etc. Não ficou por aí. Por exemplo, quando foi (1990-1995) vereador da Cultura da CML, criou a Videoteca de Lisboa, a Casa Fernando Pessoa, o Arquivo Fotográfico Municipal e o Teatro-Estúdio Mário Viegas. Além de, convém lembrar, ter criado as condições para que Lisboa fosse, em 1994, a Capital Europeia da Cultura. Mais tarde, enquanto Presidente da Câmara de Lisboa (1995-2002), a Cultura esteve sempre no centro dos seus interesses. As pessoas esquecem-se com facilidade. "

Adenda: pelos vistos não estou sozinho. Ana Bacalhau, António Mega Ferreira, Diogo Infante, Francisco José Viegas, Inês de Medeiros, Isabel Pires de Lima, Joana Vasconcelos e Paulo Branco (entre outros), também elogiam a escolha de João Soares.



Publicada por Eduardo Pitta à(s) 09:00

Sem comentários:

Enviar um comentário