Visitas

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Igualdade...


Hoje apetece-me dizer  isto …

 

Embora quase desde que nasci tenha deparado com  violências, agressões morais e físicas, discriminações sociais de muitos tipos e demências emocionais, não me vai preocupar, nunca me preocupou os juízos de valores que outros fazem da minha pessoa, do meu carácter ou da minha forma de estar na vida, mesmo que por algum motivo tenha exposto de certa forma a minha vivência, o meu percurso de vida, antes mesmo de ter o sarampo, e a papeira .

Apenas aprendi com a vida a insurgir-me em muitas questões e a dar valor as pequeninas mas importantes “coisas”, o afecto, a amizade, a verdade, o companheirismo, o espírito de entreajuda, o dar e receber sem cobranças, cobranças essas que quando existem eu lhes chamo de contabilidade miserável. E a apelido desta forma quando alguém diz: “…se dei, ou fiz isto ou aquilo, tenho que receber com o mesmo peso e medida”. Pela forma como tenho vindo a conhecer o ser humano ao longo do meu meio século, atrevo-me a dizer que 70% pensa desta forma, daí a expressão “só dou um chouriço a quem me der um porco”. 

Sei o que é ter muito, pouco, e o suficiente . Mas o facto de ter passado por todas estas etapas me fez entender que a vida se resume a muito mais que valores materiais e sempre tentando retirar o melhor das chamadas más etapas, não deixando o que na realidade me faz doer bem fundo, ficar demasiadamente enraizado na minha mente, porque isso me tornaria fria, insensível, egoísta e desacreditada no ser humano. ( que por vezes me acontece, confesso, e por isso se calhar eu gostar tanto de animais. )  

Ter ética, tolerância, olhar o outro, aceitar, distinguir o bem e o mal, o comportamento correcto e o incorrecto. Palavras bonitas que indicam princípios e valores morais. Muitas são as vezes que não passam de meras palavras, numa perspectiva de sociedade que se pretende saudável onde não deveria coexistir conceitos como apartheid, racismo, segregação racial, fascismo, descriminação, opções sexuais etc. etc….A igualdade é um factor positivo de uma mente sã.

São de facto muitas, a falta de ética, e suas descriminações. Vou completar com apenas uma de muitas. A deficiência física, outra espécie de descriminação tão presente e real.  

O corpo marcado pela deficiência lembra a imperfeição humana. Como a nossa sociedade faz culto do corpo perfeito e aparentemente saudável, aqueles que portam deficiência, lembram aquela fragilidade que se quer negar. 

Valorizar o ser humano na sua essência e não pela sua aparência. Forma essa que transmite às gerações vindouras que o respeito ao outro ser humano, independentemente da sua cor, raça, etnia, característica física ou intelectual, é uma demonstração de humanidade. de sabedoria e categoria, eis o que sempre incuti nos meus filhos ( talvez por eu ter um filho diferente ) me faça ver as coisas de outra fora e incutirei , nos amigos, nos filhos dos amigos e em todos que fazem parte do meu circulo de amizades e familiares..

Cheguei a uma  fase da minha vida que cada vez estou mais selectiva, quem não partilhar destes mesmos valores não vale a pena chegarem-se a mim porque eu dispenso-os !!!

Sem comentários:

Enviar um comentário