Visitas

sábado, 22 de maio de 2010



Continuação da página anterior...

Serge Reggiani, cantor de origem italiana mas, Paris foi a cidade escolhida para residir, actor, poeta e pintor, mas, foram as canções a sua opção, começando a carreira no ano de 1965, e assim foi continuando, até que, uma actuação conjunta com Jacques Brel, o dá a conhecer como um cantor de intervenção, por razões familiares e pessoais decidiu afastar-se ... volta mais tarde com a pintura fazendo algumas exposições. Assim, por insistência da sua mulher encontra forças, e volta à cena musical dando alguns concertos até que em 2004 com 82 anos, um ataque cardíaco o levou...

Esta pequena introdução serve para situar no tempo Serge Reggiani... é uma das mais bonitas canções para aquela época, e talvez até diria com um certo cuidado na abordagem do tema, foi escrita por G. Moustaki, e a introdução do poema é de Baudelaire....

Intodr......

(...) Se você a encontrar, estranhamente vestida,
rastejando na esquina, de uma rua perdida,
de cabeça e olhos para baixo como um pombo ferido,
arrastando os pés descalços pelas ruas ......
cuspindo palavrões... e vagueando sobre lixo...
Rosto pintado...impura e pobre...
deusa da fome passeia numa noite de inverno,
forçada a levantar as saias a todos, ao ar livre...
esta vida de boémia é o meu tudo, a minha riqueza,
minha pérola, minha jóia, minha rainha, minha duquesa (...)


A mulher que está na minha cama,
tem mais de 20 longos anos
com olhos identificados
pelos anos...
símbolo sexual,
com a boca já desgastada
por ser beijada
demasiadas vezes
de cara pálida
parecendo por vezes uma máscara...

A mulher que está na minha cama
tem mais de 20 longos anos...
seus peitos caídos,
de tanto amar
seu corpo cansado
de tanto ser acariciado,
e suas costas arqueadas,
parecem ser as lembranças
às quais ela teve de fugir...

A mulher que está na minha cama
tem mais de 20 longos anos....
não ri, não olha, não tem atitudes...
de lágrimas nos olhos,
mantendo um certo sarcasmo...
mas, quando à noite conhecemos o seu corpo,
coberto de lágrimas e lesões, mesmo assim,
não deixa de ser um tranquilizante para tantos homens ....






Sem comentários:

Enviar um comentário