Visitas

quarta-feira, 25 de março de 2015

Preconceito e descriminaçâo...





Resultado de imagem para preconceito


Preconceito e Descriminação....



O ser humano, ao longo de toda a sua história, manteve certo medo, ou até mesmo receio pelas coisas diferentes do seu quotidiano. A sua análise quanto a estas coisas era baseado em seus conhecimentos não contestáveis, pois não haveria sentido em  acreditar em outras verdades se sua vida se manteve adequada  em um caminho retilíneo até a tal diferença surgir.
Essa é a base para o “etnocentrismo”, que é a atitude de considerar o seu meio e cultura superior a dos demais... daí surge o preconceito. Mas o que se exige de um ser que possui  raciocínio, é que antes de ter um acto de discriminação, que  analise tal diferença, para poder compreendê-la.
Mas, como disse anteriormente, não haveria sentido em acreditar em outra verdade se a sua está adequada, tal verdade o faz criar certos conceitos para tal diferença, que logicamente estão “correctos”, e daí ele criar conceitos a isso precocemente, e assim surge o preconceito. Mas repare, que tal preconceito não possui a obrigatoriedade de ser maligno, este pode ser ingênuo, benéfico, etc etc.
O acto de ter algum preconceito não é tão condenável, afinal, ele surge de acordo com seu nível de compreensão a certa coisa, mas há uma diferença em ser ignorante e saber, mas não aceitar. O ignorante é aquele que se depara com uma diferença nova em seu mundo, então ele poderá desenvolver diversos preconceitos, até poder entender e aceitar tal diferença, porém quando este não a aceita, ele provavelmente desenvolverá actos de discriminação, condenáveis de acordo com a moral, éctica e as leis vigentes no mundo.
E como saber se essa diferença é ou não algo de mau? Muitas pessoas respondem a isso de acordo com sua moral ou fé, esse próprio acto já é não saber lidar com diferenças, pois vem do tal “etnocentrismo”, o correcto seria primeiro analisar o caso, e  se o mesmo não for ofensivo para ninguém, correcto, e não ultrapassar limites impostos socialmente, não há motivos para se desenvolver algum preconceito negativo.
Mas o que ocorre com o ser humano? Este ser está dotado do orgulho e da alienação,  nega-se a estar errado em alguma coisa, e não percebe que, não é ele que estará errado....  o natural do ser humano é  estar em união com os seus semelhantes, e desde sempre o fizeram acreditar na verdade suprema, e os que estão de fora  dessa mesma verdade estão errados. É tudo uma questão de manipulação, mantida por si mesmo, pois a partir do momento em que essa verdade é “inquestionável“, ela será sempre mantida, mas não é por algum ser que a mantém por interesse, é porque a maior parte da raça está inserida nesta verdade.
Tudo segue o caminho natural da mudança, não é justo também que os injustiçados desenvolvam um preconceito aos que os vêem como “errados”, o correcto seria mostrar o que eles possuem de bom, seja a cor, etnia, religião, sexualidade...

Também há a necessidade de analisar o conceito de preconceito e discriminação, não podendo exigir que uma pessoa entenda e aceite as diferenças, por questão de opinião, mas esta, deve permitir o livre tráfego e a livre expressão de pensamento, sendo  o acto de discriminação um sinal de fraqueza e desrespeito.
Pronto, já falei sobre o preconceito e a discriminação; suas diferenças são básicas, o preconceito é a não aceitação, a discriminação o não permitir as diferenças com acções desrespeitosas ( marginilização).

Ambos são actos inseridos no intelecto do humano, pois para ele, mesmo que seja no seu subconsciente, - o ser humano é sensível a mudança, ele nunca quer mudar para se adaptar, ele deseja que o mundo e os outros se adaptem a ele -.
Para concluir, o acto de ter preconceito envolve a não auto-aceitação do estar errado, mas também o acto de não aceitar sobre nenhuma circunstância que alguém tenha preconceito também é uma atitude de discriminação.

Sem comentários:

Enviar um comentário