Visitas

segunda-feira, 14 de abril de 2014

25 de Abril ....


O meu 25 de Abril ….
 
Passaram já 40 anos desde o dia em que os portugueses viram nascer a esperança de viver em liberdade, num país desenvolvido e socialmente mais justo.
Quem viveu o período obscurantista da ditadura salazarista não poderá esquecer a forte repressão exercida sobre os contestatários do regime que, atirados para tenebrosas prisões eram torturados pela polícia política; a censura prévia negava a liberdade de imprensa; eleições livres eram uma miragem; a guerra colonial era destino quase certo que interrompia os sonhos da juventude...
Mas o regime estava caduco e finou-se com a insurreição levada a cabo pelo MOVIMENTO DOS CAPITÃES, em 25 de Abril de 1974.
A adesão popular à revolta militar foi espontânea. O poder foi endossado a uma JUNTA DE SALVAÇÃO NACIONAL que elaborou uma declaração de princípios contendo 3 palavras chave:
DESCOLONIZAÇÃO,
DEMOCRATIZAÇÃO
DESENVOLVIMENTO.
A DESCOLONIZAÇÃO foi conseguida não obstante alguns condicionalismos provocados pela pressão dos movimentos de libertação, que não estavam dispostos a atrasar mais esse processo.
A DEMOCRATIZAÇÃO foi um sucesso, apesar de algumas convulsões provocadas pela imaturidade popular e dos partidos. O Partido Comunista parecia ser a força política melhor organizada, depois de mais de cinco décadas de clandestinidade. As restantes forças partidárias tinham sido criadas recentemente. Por isso foram cometidos alguns erros naturalmente aceitáveis, num país que acabava de acordar de 48 anos de ditadura e profundo obscurantismo.
O DESENVOLVIMENTO não tendo sido o ideal, é um processo que está e continuará ainda em curso. Decorridas mais de quatro décadas podem ser apreciados alguns indicadores da evolução registada: inúmeras aldeias passaram a dispor de água canalizada, saneamento básico e electricidade; reduziu-se a taxa de mortalidade infantil; aumentou a longevidade; criaram-se passes sociais para os transportes; a taxa de analfabetismo baixou; o grau de instrução médio é incomparavelmente superior; existe um salário mínimo; as pensões são menos injustas; foram criadas diversas prestações sociais; há muito mais portugueses com casa e viatura própria; o Serviço Nacional de Saúde encontra-se entre os mais cotados, etc...
 
Claro que neste momento, estamos muito mal, todos os dias nos tiram qualquer coisa  e muitas destas coisas estão desvirtualizadas, mas vamos ter alguma esperança ainda que viram dias melhores ( não sei quando) mas não podemos deixar perder todos os nossos direitos adquiridos…. Valha –me Deus, tanto que se lutou para nada? Não posso nem quero acreditar nisso.
 
Geração pós 25 de Abril ( que se encontram tristes, desiludidos e sem esperança de nada!!! )  abram bem os olhos e lutem pelo que ainda nos resta ….
 
E o mais importante disto tudo, é que ainda estamos cá...... estamos vivos
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário