Visitas

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Hoje escrevo para o meu " Principe " ...



Este texto já é conhecido, publiquei-o no facebook, porque ainda não tinha o blog, hoje já não se justifica a sua existência naquele lugar mas sim aqui..

O Zé é o meu marido, a pessoa que me dá apoio e que está sempre a meu lado mesmo distante, que me escuta e que me atura nos meus piores e melhores dias, achando graça às minhas próprias chatices e disparates . Um homem que quando menos se espera aparece com alguma surpresa, não falo de presentes, falo de actos ou palavras como " se fosse hoje casava contigo novamente". Um homem que me ensinou a ser ainda mais tolerante, com a sua vasta e leve espontaneadade que caracteriza os Grandes, Genial sem exibir génio, Humilde sem servilismo, cinzento como ele diz ser, por vezes, é um facto, mas um grande homem é silenciosamente bom .... As pessoas normalmente não gostam de mostrar os sentimentos aos outros, eu como não partilho dessa opinião, por isso, resolvi fazer esta "pequenina homenagem" porque uma das qualidades da minha geração, é o reconhecimento ...... em vida !!!


" Quem faz jus ao título de Grande Homem " ?
Não sei...
O homem inteligente?
não basta ter inteligência para ser grande ...
O homem poderoso?
Há poderosos mesquinhos...
O homem religioso?
Não basta qualquer forma de religião ... podem todos esses homens possuir muita inteligência, muito poder e muita religiosidade - e nem por isso são grandes homens.
Pode ser que lhes falte certo vigor e largueza, certa profundidade e plenitude, indispensáveis à verdadeira grandeza.
Podem os inteligentes, os poderosos, virtuosos não terem a verdadeira liberdade de espírito...
Pode ser que as suas boas qualidades não tenham essa vasta e leve espontaneidade que caracteriza todas as coisas grandes.

Pode ser que a sua perfeição venha mesclada de um quê de acanhado e tímido ...
O grande homem é silenciosamente bom ...
É poderoso - mas não ostenta poder ...
Socorre a todos - sem precipitação ...
É puro ..
Vai carregando fardos pesados - com leveza e sem gemidos ...
Domina - mas sem insolência ...
Fala - sem gritar ...
Ama - sem se oferecer ...
Faz bem a muitos - não esperando nada ...
Rasga alguns caminhos novos - sem esmagar ninguém ...
Entra muito facilmente no coração de qualquer um - sem saber como ...
Tudo isto faz um grande Homem, porque é com o sol - assaz, delicado e poderoso sustentando um sistema planetário inteiro ...


Não se faz um grande homem da noite para o dia
Um grande homem é reconhecido pelos actos,
Pelos valores e realizações ...
por gestos e missões ...

1 comentário:

  1. Continuo fã do teu blog.
    Soube-me bem reler o que escreveste sobre o Zé, teu querido marido e meu querido irmão.
    Somos uns lamechas mas ainda bem, é em vida que devemos dizer uns aos outros que os amamos, não junto à sepultura.
    Isso está muito visto.

    ResponderEliminar